Clicky

Não podemos perder a doçura para vencermos o mal com o bem - Altair Fonseca
Doçura
Inspirações e conselhos

Não podemos perder a doçura para vencermos o mal com o bem

Diante de tudo aquilo que nos desafia, nos inquieta e traz dificuldades, não podemos perder a doçura. Afinal, todo cristão é chamado a vencer o mal com o bem e ser sal da terra e luz do mundo. Aqueles que seguem a Jesus Cristo precisam trazer a doçura, a paz e o amor do Senhor por onde passam. Hoje vamos meditar sobre essa verdade que é tão pouco observada atualmente.

Veja também:

Não perca a doçura

Devemos cultivar a virtude da doçura e nos esforçarmos para não perdê-la diante de tudo o que nos prova. É somente pela graça de Deus e em constante vigilância que poderemos vencer nossas más inclinações e sermos pessoas cada vez mais virtuosas. Os santos da Igreja têm muito a nos ensinar e hoje você vai receber conselhos valiosos para meditar. Começamos com São Francisco de Sales:

Não deixe de ser doce
Não deixe de ser doce

“A humilde doçura é a virtude das virtudes, a qual Deus tanto nos recomenta; por isso é preciso praticá-la sempre e em toda a parte (…) Aquilo que virdes ser possível fazer com amor, fazei-o; e o que não se puder fazer sem conflito, cessai-o”. São Francisco de Sales.

Sobre responder de cabeça quente

Todas as pessoas que já passaram pela experiência de responder de cabeça quente, no calor do momento da ira, se arrependeram amargamente. A seguir você confere um importante conselho de Santo Afonso Maria de Ligório para os mais esquentadinhos.

Não responda de cabeça quente
Não responda de cabeça quente

“Quando precisarmos responder a quem nos maltrata, cuidemos sempre de responder com doçura: ‘A resposta branda aquieta a ira’ (Pr 15,1): uma resposta doce basta para apagar toda a chama da cólera. E, quando nos sentimos perturbados, ainda melhor é calar-nos, porque ainda nos parece justo dizer o que nos vem à boca; porém, depois de sedada a paixão, vemos que todas as palavras por nós proferidas foram falhas”. Santo Afonso Maria de Ligório.

A ira contra nós mesmos

Nada de ira contra nós mesmos
Nada de ira contra nós mesmos

“E, quando acontecer de cometermos nós mesmos alguma falta, é preciso que também para conosco usemos de doçura; o irarmo-nos com nós mesmos depois de cometida a falta não é humildade, mas pura soberba, como se não fôssemos os fracos e miseráveis que somos”. Santo Afonso Maria de Ligório.

Sobre a humildade que inquieta

Na mesma linha de Santo Afonso Maria de Ligório, Santa Teresa d’Ávila nos mostra que essa humildade que inquieta não vem de Deus. Na verdade, essa ira contra nossas limitações não passa da mais pura soberba e vaidade. Portanto, é importante ter a doçura necessária para discernir o que tem se passado em nosso interior.

A humildade que inquieta nunca vem de Deus
A humildade que inquieta nunca vem de Deus

“Uma humildade que inquieta não vem nunca de Deus, mas do demônio”. Santa Teresa d’Ávila.

Talvez você sinta muita dificuldade em manter a calma diante de algumas situações e o que foi falado aqui pareça impossível. Mesmo assim, não desanime e siga em frente confiando na graça de Deus, que nunca abandona seus filhos amados. Você e eu devemos pedir todos os dias as virtudes que mais precisamos para sermos pessoas melhores no mundo em que vivemos.

Autor

Filho muito amado de Deus, Católico Apostólico Romano, amante de quadrinhos e livros, Altair Fonseca busca neste espaço partilhar conteúdos que nos ajudam na caminhada para o Céu. Formado em Publicidade e Propaganda, trabalha em assessoria de comunicação, além de ser ilustrador.

Comments

Pedro
26 de junho de 2023 at 15:20

Meu caro, qual a fonte das citações de Santo Afonso Maria de Ligório?



    27 de junho de 2023 at 08:23

    Me perdoe amado irmão, na época deste conteúdo eu ainda não fazia as citações como a ABNT pede. Como já li muitos livros dele, pode estar em A Oração, Prática do amor a Jesus Cristo, Glórias de Maria, dentre outros. Me perdoe por não conseguir dar uma resposta suficiente. Deus abençoe você!



Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *