Beijo gay em animação da Disney gera protestos de pais italianos - Altair Fonseca
Lightyear beijo gay
Notícias e análises / Vídeos

Beijo gay em animação da Disney gera protestos de pais italianos

Não há problema em se defender a liberdade em todas as esferas e que não haja preconceito contra ninguém. Entretanto, doutrinar crianças e ensinar um novo padrão de comportamento como se fosse o ideal não passa de imposição e um novo tipo de ditadura. Também é liberdade poder discordar de um beijo gay numa animação para crianças e é isso que alguns pais italianos fizeram.

Veja também:

Beijo gay em animação da Disney gera protestos de pais italianos

Mais de 12,5 mil assinaturas foram reunidas pela associação italiana Pro Vida & Famiglia (Pró-vida e Família) contra o beijo gay entre duas personagens femininas no filme de animação Buzz Lightyear, da Disney.

“Milhares de pais estão incomodados que a Disney, após pressão de poderosos lobbies gays e transgêneros americanos, inseriu um beijo gay explícito no filme de animação ‘Lightyear’, que conta a história do famoso personagem de Toy Story e que chegará aos cinemas em junho”, disse uma nota da associação italiana publicada em 28 de março.

“A Pro Vita & Famiglia já recolheu, em poucos dias, mais de 12 mil assinaturas, que continuam a aumentar, e que serão enviadas ao chefe da Disney na Itália, Daniel Frigo”, acrescentou o texto.

Uma lei na Flórida contra a doutrinação LGBT

Ron DeSantis, governador da Flórida, assinou uma lei que proíbe a doutrinação de crianças nas escolas com ideologia de gênero ou abordagem de gênero, corrente que considera que o sexo de cada pessoa é uma questão sociocultural ou de autopercepção, e não biológica

O governador disse: “Continuaremos reconhecendo que, no estado da Flórida, os pais têm um papel fundamental na educação, saúde e bem-estar de seus filhos.”

“Não vamos mudar isso. Não estou interessado no que diz a grande mídia, no que diz Hollywood, não estou interessado no que dizem as grandes corporações. Estou aqui e não vou recuar”.

Em sua nota, a Pro Vita & Famiglia especificou que querem “informar à empresa americana o descontentamento de milhares de pais, que não ficam calados diante da estratégia LGBT que quer doutrinar seus filhos.”

“Acreditamos que não é correto usar desenhos animados para influenciar a mentalidade das crianças com argumentos que podem traumatizá-las e confundi-las”, disse Jacopo Coghe, porta-voz da organização.

Educar é papel dos pais

Nunca poderá ser considerado liberdade o fato de um desenho animado, série, ou correntes ideológicas transformarem a mentalidade das crianças chamando isso de educação. O papel fundamental de educar é e sempre será inicialmente dos pais, e foi assim que Deus quis ao instituir a família. Família, aliás, que deve ser formada por homem, mulher e seus filhos, e inicia-se com o sacramento do Matrimônio.

Sobre a doutrinação das crianças pela Disney, assista o vídeo a seguir:

URGENTÍSSIMO!! A GRANDE DOUTRINAÇÃO DE NOSSAS CRIANÇAS!!! Católicos de Verdade

Liberdade

É óbvio que todos possuem o livre arbítrio para pecar à vontade, mas ninguém tem o direito de ensinar o pecado como se fosse algo maravilhoso, cheio de magia e colorido. Diante de tudo isso, unamos nossas forças em oração para que caia por terra todo ataque maligno que visa descaracterizar a linda criação de Deus. Que a Virgem Maria Santíssima pise na cabeça da serpente que tenta espalhar seu veneno pelas ideologias nefastas! Amém.

Se você concorda com este conteúdo e não quer se calar diante do ataque maligno, compartilhe!

Autor

Filho muito amado de Deus, Católico Apostólico Romano, amante de quadrinhos e livros, Altair Fonseca busca neste espaço partilhar conteúdos que nos ajudam na caminhada para o Céu. Formado em Publicidade e Propaganda, trabalha em assessoria de comunicação, além de ser ilustrador.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.