Madre Teresa de Calcutá deixou João Paulo II esperando por um motivo surpreendente - Altair Fonseca
São João Paulo II e Santa Madre Teresa de Calcutá
Histórias Reais

Madre Teresa de Calcutá deixou João Paulo II esperando por um motivo surpreendente

Todo o mundo sabe que o fogo do amor de Jesus Cristo guiou a vida de Madre Teresa de Calcutá. Se Cristo está presente no nosso próximo, se uma pessoa doente é Cristo, então até o Papa pode esperar, não é mesmo? Aos olhos humanos, pode até parecer indelicadeza algo que é admirável aos olhos de Deus. Hoje você vai conhecer uma história inspiradora envolvendo dois grandes santos da Igreja Católica.

Veja também:

O dia em que Madre Teresa de Calcutá deixou o Papa João Paulo II esperando

Madre Teresa de Calcutá e o Papa João Paulo II se encontraram em várias ocasiões, mas um encontro em particular revela o espírito único de Madre Teresa. A história consta em uma edição recente da publicação bimestral italiana Miracoli e misteri, em um artigo de Massimiliano Di Paolantonio.

Madre Teresa estava em um carro a caminho de Nova Delhi para cumprimentar o Santo Padre, quando em certo ponto notou uma pessoa com lepra sozinha à beira da estrada. Ela fez o motorista encostar o carro, saiu do veículo e começou a cuidar do leproso. Ela conversou longamente com ele para consolá-lo, trazendo-lhe o amor de Deus e dando-lhe esperança e coragem. Então, ela partiu novamente, mas já estava atrasada para o encontro com o Papa.

Quando um dos cardeais presentes a criticou por ela ter deixado o Papa – o Vigário de Cristo na Terra – esperando, ela respondeu calmamente: “Sim, eu sei, mas encontrei Cristo na estrada”.

Uma santa que tem muito a nos ensinar

O que Deus quis nos mostrar através de sua serva, Madre Teresa de Calcutá, é de grande profundidade. O amor aos pobres, o respeito à vida sem hipocrisia ou politicagem e uma espiritualidade enraizada em Cristo. Afinal, somente com uma profunda vida de oração é possível ter o amor corajoso que essa mulher teve para com todos.

E por falar em coragem, numa plateia que incluía o casal Bill e Hillary Clinton ela perguntava com destemor: “Se nós aceitamos que uma mãe pode matar até mesmo seu próprio filho, como vamos dizer às outras pessoas para que não se matem?”.

É preciso respeitar a vida
É preciso respeitar a vida

“Com o aborto, a mãe não ensina a amar, mas mata inclusive o próprio filho para resolver seus problemas. Qualquer país que aceite o aborto está ensinando seu povo não a amar, mas a usar de qualquer violência para chegar aonde quer”, dizia a santa.

Ao meditarmos sobre a vida de Santa Madre Teresa de Calcutá, percebemos nossas misérias e como somos incoerentes. É preciso dar um passo a mais na defesa da vida, do respeito e do amor, que brotam de Jesus Cristo. Sem Ele, nada poderemos fazer.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *